A inspiradora história de Razan, da Síria para o Brasil.

Eu queria algo muito diferente para o dia internacional da mulher. Queria falar sobre uma mulher de inspiradora. Temos muitas mulheres assim ao nosso redor, mas acho que as mulheres da Síria, tem um algo a mais para superar tantas dificuldades. Foi então que dei uma de jornalista e fui atrás dessa mulher. Buscava uma mulher refugiada em nosso país, queria ouvir dela como é ser uma mulher em um país em guerra o tempo todo, como fez para superar as grandes dificuldades, que não são as unhas quebradas, o trânsito que está ruim, o cabelo que não está hidratado, ou o filho respondão. Procurei e achei Razan Suliman, uma jovem de 28 anos que saiu da Síria em busca de paz.
Razan vivia na Síria com sua família, até perder alguns familiares na guerra. Então sua mãe a orientou a sair do país. Razan, pegou todo o dinheiro que tinha e conseguiu seu visto para ir para França. Mas na hora do embarque teve a ida para França negada, com a informação de que o país não estava mais recebendo refugiados. Muito chateada, conversou com seu marido e resolveram vir para o Brasil. Aqui no Brasil, o marido da Razan, começou a trabalhar, mas ganhava muito pouco. Foi então que uma vizinha de Razan a emprestou a senha do Wi-Fi para que ela falasse com a família. Em troca, em sinal de gentileza e gratidão, Razan fez esfirras para agradecer. Sobrou uma quantidade enorme e a vizinha de Razan colocou num grupo de WhatsApp. Todas foram vendidas e a informação foi se espalhando e ela cada vez mais com encomendas. Logo percebeu de precisaria de uma geladeira, ou freezer, mas não tinha. Uma amiga colocou no Facebook e ela ganhou por doação. A partir desse momento as encomendas foram aumentando e isso não parou mais e hoje eles vivem de fazer comida árabe sob encomenda.

Vasculhei e consegui achar uma forma de falar com Razan. Conversamos pelo telefone e ela aceitou o convite para essa matéria no blog. Pude fazer algumas perguntas e foi incrível ouvir sua história.

Perguntei a Razan por que ela saiu do seu país na época? Por que exatamente saiu.

Razan:

 Saí  pra rua e aconteceu eu ver pessoas mortos e estado islâmico pegou um dia preso meu marido pra cortar dedos dele porque ele fumava cigarros. 

Perguntei como ela foi recebida no Brasil.

Razan:

Fui bem recebida e povo ajuda eu muito.

Perguntei se ela achava que o fato de ser mulher havia dificultado as coisas pra ela. 

Razan:

 Sim porque que eu aprendi em meu país que mulher não pode ficar livre em falar e fazer que ela quer. Quando cheguei aqui fiquei com medo também mas eu conheci amigas me ensinou que mulher aqui livre aí eu queria também fiquei atrás até conseguir e fazer tudo dentro meu limite da religião primeiro e da minha família.

Perguntei a Razan quais eram os maiores desejos dela atualmente. 

Razan:

Ter minha família perto e meus filhos e vida boa pra agente aqui e estabelecer a vida sempre aqui.

Perguntei a Razan quais eram os sonhos dela para as mulheres do mundo.

Razan:

Pra ficar mais forte e nunca volta pra atrás e sempre ter fé que agente mesmo mulher vai conseguir tudo.

Razan é um doce de pessoa, foi muito solícita e educada. Sua história é realmente inspiradora e foi pra mim incrível poder construir essa matéria com tanto carinho. Trazer uma realidade diferente da nossa e me fazer inclusive refletir. Uma mulher forte que não se deixou abater nem diante das maiores das dores. Ela representa pra mim essa mulher! Essa mulher que merece um dia para ser dela! Pra chamar de internacional dia da mulher!

Razan mora em São Paulo e você pode encomendar as comidas Árabes mais gostosas fazendo contato com ela pelo Facebook : Razan Comida Árabe.

Um comentário: