Vou brincar com meu filho mas esse celular "não me deixa"!

Estamos na semana mundial do brincar e essa semana vamos abordar o assunto de forma mais ampla.
A semana mundial do brincar esse ano tem como tema BRINCAR DE CORPO E ALMA e me chamou bastante atenção.
Nos dias de hoje vivemos grandes desafios, na verdade cada vez mais vivemos esses grandes desafios. A grande responsabilidade no trabalho, a resolução de problemas do trabalho em casa, a quantidade de problemas como desemprego e sobrecarga, a quantidade de compromissos, as redes sociais, a necessidade e as vezes obrigação de transmitir a tempo e a hora tudo o que estamos fazendo nos rouba muitas vezes mais que o tempo, nos rouba a mente, a concentração. Tem sido cada vez mais difícil sentar e brincar com o filho, sem que o telefone toque, o WhatsApp chame e e mail chegue. Na minha opinião esse é o maior desafio da atualidade. De certo, não para todos, mas para muitos.
Quando eu digo que o problema é grande, não é pela falta de tempo junto, mas também pela falta de integralidade na atitude de estar presente brincando. Estamos ali, mas muitas vezes não estamos de corpo e alma. Estamos com a cabeça em outro lugar, ou doidos para pegar o celular novamente e checar as novas mensagens que chegaram.
Muitas pessoas trabalham com internet e realmente acabam ficando mais conectadas e muitas pessoas se conhecem conectam por pura diversão. Quando digo pessoas, eu me incluo nisso. Me conecto tanto pelo blog, quanto pela diversão e também tenho essa ansiedade de olhar o celular em muitos momentos. Não é muito fácil mas deve ser combatida, na minha opinião.
Tenho lido sobre o assunto e desenvolvido estratégias minhas. Não são as melhores mas funcionam.
Deixar o celular longe na hora da brincadeira com o pequeno para evitar distração.
Se conectar com a brincadeira, conversar e interagir com o pequeno e entrar de verdade na brincadeira dele.
Lugares ao ar livre.
Brinquedos educativos.
Ler uma história que seja boa pra você e para ele.
Lembrar que qualidade é uma coisa e quantidade é outra. Pode ser que você tenha pouco tempo, mas o importante é que ele seja de qualidade. Seja integralmente do seu filho.
Segundo a pedagoga Isabel Cristina de Paula, “Através da brincadeira os pequenos constroem seus processos mentais, desenvolvem habilidades, sentem-se estimulados ao convívio social, conseguem discernir e formar conceitos de tamanho, ordem, cores, espessura e textura. A criança que brinca é convidada a compreender valores e diferenciar papéis dentro da sua cultura”.
Brincar não é um simples passar de tempo, faz parte do desenvolvimento infantil e da construção do caráter.

Muitas brincadeiras fáceis e gostosas existem e deixo aqui as sugestões:

Passa anel

Pique tá

Pique esconde

Jogo de cartas

Adoletá

Banco imobiliário

Dominó

Figurinhas

Cozinhar junto

Amarelinha

Pular corda

Brincar de comidinha

Mímica

Bonequinha de papel

Barco de papel

Vídeo game junto

Peteca

Andar de bicicleta

Bola de sabão

Estátua

Cata-vento

Feirinha

A forca

Quebra cabeça

Ligue os pontos

Baralho

Bingo

Cabaninha

Cabo de guerra

As crianças ficam muito felizes quando dedicamos nosso tempo para brincar com elas. Esse é um desafio meu e acredito que de muitos pais da nova geração. Estar presente de corpo e alma contribui e muito para a formação de crianças felizes e adultos seguros.

Gostou? Querem falar sobre o assunto? Mandem mensagens pra mim.

Por Hamanda Garcia

contatohamandagarcia@gmail.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário