E quando uma mãe precisa de ajuda para salvar sua filha?

Hoje trago uma história muito bonita e comovente. A história de Victória e sua mãe Samantha. Na verdade é uma história de amor, uma história sobre doação e maternidade que chegou até a mim como pedido de ajuda. E nós vamos ajudar como muito amor no coração.

A seguir os relatos da mãe Samantha, sem tirar uma vírgula, contando a história de Victória e ao final como você pode ajudar.

Victória nasceu em 2012, e desde que nasceu já tinha dificuldade para evacuar ficava normalmente de 15 a 25 dias sem evacuar. Um dia questionei para pediatra dela porque tanto tempo sem evacuar, sendo que ela estava só no peito, e depois ela já estava na papinha na alimentação e sempre ficando constipada e a pediatra me disse que ela viveria assim para o resto da vida porque ela tinha constipação.
Com dois anos eu procurei um gastro pediatra, e começamos a fazer exames até que ele pediu para fazer um clister opaco, e nesse exame o resultado foi sigmóide redundante e começamos com medicação via oral e via retal e ele disse que poderia operar, mas preferia esperar ela fazer 5 anos, para ver se o sigmoide tinha parado de crescer.A medicação via oral fazia explodir as fezes (como dizia ela fazia cocô lama e ela não tinha controle sobre isso no início. Até que um momento essa medicação começou não fazer mais efeito, mudamos a medicação e começou a nenhuma medicação o via oral fazer efeito, o supositório tambem não fazia mais efeito, iniciamos com a bisnaguinha com óleo que hoje também não faz mais efeito.
Com isso foi necessário controlar a alimentação da Vitória, por causa da constipação e ela começou adquirir algumas alergias e começou a ter sensibilidade alimentar, então por exemplo se ela comia ovo naquela semana ela não podia comer mais ovo, porque ela tinha manchas pelo corpo inteiro como se fosse uma alergia, ou vômitos e fomos vivendo assim durante esses anos com restrição alimentar tendo um controle feito aqui em casa por mim para evitar que ela tivesse qualquer reação. A reação da pele e asma sempre se mantiveram, usa medicações para dermatite atópica e para asma.
Dia 28 de agosto de 2017 Victória começou apresentar vômitos febre alta e início de uma diarréia, sendo que ela nunca tinha tido essa diarréia estranha, fezes estranhas e aí acabou indo pro hospital sendo liberada. Voltando ao hospital e foi internada por causa da infecção, as pernas da Victória não funcionavam mais e aquele período a gente teve medo eu acho que foi a primeira vez que a gente teve medo de perder a Victória, ela tinha feito uma lavagem intestinal e após essa lavagem se iniciou essa infecção. Iniciou antibióticos e aí voltamos ao gastro que foi médico dela todos esses anos, particular fora do plano e ele me pediu exames de diabetes e outros exames mais específicos que ela nunca havia feit, nada acusou de errado.
Ela só piorava, aparecia gengiva depois da internação e a dentista dela abria o dente, fazia raio-x e não tinha nada até que a dentista lembrou do problema da Victória do intestino e perguntou se eu podia encaminhar o exame clister opaco que ela havia feito em 2014. Encaminhei, e ela encaminhou para o irmão dela que fazia residencia no Hospital da Lagoa na época em proctologia ele mostrou para o chefe dele e mandaram eu procurar um proctologista o quanto antes e aí eu entrei na busca de um proctologista que atendesse uma criança de 6 anos, não conseguia, e por um erro de secretárias marcaram com médica e quando eu cheguei a médica a secretária me informou que a medica só atende criança apartir de 12 anos mas ela ia olhar Victória, foi aí que a médica encaminhou a Victória para um Cirurgião Pediátrico, esse cirurgião atendeu Victória falou da suspeita dele e que deveria ser feito uma cirurgia para uma biópsia.
A cirurgia foi marcada para 20 de dezembro, foi desmarcado e marcada para 5 de Janeiro, 5 de Janeiro ele sofreu um acidente e ficamos esperando ele melhorar remarcou para 9 de março, Victória teve impetigo e teve que tomar antibiótico e tivemos que cancelar a cirurgia até que um dia ele ligou perguntando como é que estava Victória, se tinha alguma infecção e aparentemente não tinha e Victória internou dia 16 de Março, fez a biópsia.
Sendo que a biópsia não deu ausência de células ganglionares que seriam a doença de Hischsprung, mas também não deu negativo, deu diminuição de células ganglionares e os médicos que olham o laudo falando que aquele laudo estava errado e que não tinha uma resposta clara.
Fui a médico em Resende, em Volta Redonda e mandei para médicos de fora de amigos e todos afirmam que a Victória tem doença de Hischsprung. Nesse meio tempo um pouco antes da cirurgia a Victória iniciou com uma dor forte na bexiga e aí eu marquei uma nefro, após a cirurgia fui a consulta, e a medica pediu uma ultra, quando nós fomos fazer a ultra a médica que fez a ultra, faz normalmente o clister opaco então ela conhece a doença de Hischsprung, está acostumada com laudos e ela pediu pelo amor de Deus para não operar sigmóide redundante, simplesmente a cirurgia já estava marcada para final de junho, me encaminhou para um médico no Rio, e eu tinha ido a outro médico no Rio só que esse médico não opera intestino de criança só faz cirurgia simples.
Dia 28 de maio fomos ao médico que Dra Valéria me encaminhou, médico particular, foi quando nós iniciamos a vaquinha.
Até que conhecemos um anjo Doutor Francisco Nicanor, ele disse que olhando para Victória ela não tem nada porque uma criança que tem a doença é desnutrida tem aparência de desnutrida, que se eu tivesse mais filhos Vic não teria aparecia que tem, Victória tem uma alimentação muito regrada, vivo em função dela, é uma criança muito forte e nos ajuda muito.
Hoje medicação nenhuma funciona, utilizamos de chá para tentar amenizar. Alguns sintomas da Victória: constipação crônica, vômitos, sensibilidade alimentar (causando vômitos, asma, alergia na pele), dor na bexiga, nas pernas e na barriga, abscessos gengiva, caroços nos olhos ou pescoço, noites em claro.
Ele olhou o clister opaco e falou, que de acordo com o exame clister de 2017 e o que eu contava ele podia confirmar que Victória tem a doença de Hischsprung e também o sigmoide redundante,e que faria as duas cirurgias ao mesmo tempo, uma por vídeo e uma retal.
Estamos aguardando marcação, porque vamos aproveitar o plano de saúde pelo menos para internação e o resto será particular principalmente o anestesista que pelo plano tem reembolso de 20%. Ele soube da vaquinha e vai ver o que pode ser feito em relação a valores, ainda não temos orçamento final.
Então digo que Deus colocou em minha vida anjos como Dentista doutora Eliane Flores, a médica da ultra Doutora Valéria Filardi e Doutor Nicanor.
Estamos muito confiantes.

Você encontra mais informações em:
www.vakinha.com.br/vaquinha/qualidade-de-vida-para-victoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário