Avós, berçário ou babá? E agora?




Acho que todos os pais passam por isso em algum momento! Vamos trabalhar e agora com quem vai ficar o bebê? O que escolher? Qual opção fazer? Deixar com os avós? Deixar na creche/ berçário? Ou com uma babá? Quem nunca passou por isso?

Na minha opinião todas as opções tem lados bons e ruins! Aqui em casa as escolhas foram duas: a babá e as avós! Mas como assim Hamanda? Sim! A babá ficava até metade do da tarde e da metade da tarde em diante até chegarmos do trabalho, ficavam as avós.

Então vamos lá. Acho que para se deixar com uma babá você tem que confiar muito ou ter referências. No nosso caso, nossa babá cuidou dos meus avós até a morte deles. Confiamos muito nela. Cuida do Bento como se fosse seu neto. E o que foi bom disso tudo? Bento não foi para creche tão bebê, não ficou tão doente, tinha suas rotinas bem estabelecidas, e eu tinha um controle maior sobre tudo quando estava em casa e fora dela. E o que não é tão bom? Acho que a falta de contato com outras crianças para brincar e se você não conhecer a babá, a falta de vigilância.

E com os avós Hamanda? Bom, não há ninguém que ame mais uma criança que um avô ou avó! Tenha certeza que a comida será fresca e bem feita, o banho será gostoso, as brincadeiras serão incríveis e de verdade, o amor será genuíno! E o que pode ser não tão bom? (Risos)? Bom, os avós tendem a ceder mais as regras estabelecidas, na alimentação, na hora do banho ou soneca! Quem nunca pegou aquela vovó dando um bolo gostoso ou uma bala colorida? (Não são todas, mas os pequenos quebram as vovós com aquela carinha pidona). Isso também não é o fim do mundo, só é importante você saber que avós adoram fazer vontades e junto à isso vem todo o amor que eles sentem!

Na minha opinião as creches/berçários são boas opções para mamães e papais que são sozinhos nas cidades, primeiro porque são muitas professoras, salas de vidros, grande vigilância e segundo porque a linguagem do aprendizado é a mesma. A parte não tão boa assim é a maior possibilidade de ficar doentinho, pelo contato com uma maior quantidade de crianças! Mas isso não é uma regra. Às vezes acontece às vezes não. 

Vale ressaltar que no caso das babás é muito importante pessoas referenciadas para evitar situações indesejadas ou sustos com o bebê! A relação precisa ser de confiança com você e de amor e respeito com o bebê.

Acho importante também dar minha opinião quanto ao fato de que acho inoportuno imputar toda a responsabilidade da criação dos filhos aos avós enquanto os pais trabalham. Acho muito cansativo para os avós ficarem 100% do tempo com as crianças, sem tempo para descansar, para ir a médicos, para fazer atividades físicas. Acho que ajudar é uma coisa, 100% de responsabilidade é outra. Mas essa é a minha opinião.

É muito importante que independente da sua escolha, que você confie nela plenamente e não tenha problemas em mudar caso não esteja se sentindo satisfeita ou segura. Quando Bento tinha 1 ano, fiz a matrícula dele no berçário e fui para adaptação. Fui por três dias consecutivos e depois disso nunca mais voltei! E mudei toda a estratégia para babá e avós porque me senti segura assim! E assim continuamos até ele entrar na escolinha com 2 anos.

Não há regras, manual, cartilha. Sinta, perceba seu filho, os tempos dele, respeite os desejos dele e principalmente os seus e tenho certeza que assim ficará bem mais fácil descobrir com quem ele ficará para você voltar a trabalhar.

Por Hamanda Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário